Nesta carta de Paulo ao povo de Felipos temos algumas sentenças/orientações aparentemente independentes, mas estão conectadas e buscam orientar esse povo no modo de vida Cristão.

Aqui temos dois pontos para destacar:
1) A expressão “Perto está o Senhor”: essa frase era dita para manter nas mentes cristãs uma impressão viva da presença de Deus. Pode significar que Deus (como um juiz) está aqui observando, com isso, pense melhor em suas atividades, no seu modo de viver etc..

2) Equidade (também traduzida por moderação): comportamento igual, equilibrado com todas as pessoas. Aqui combate a questão da injustiça, dois pesos e duas medidas. A importância de uma análise coerente, equilibrado, igual a todas e todos. A sua equidade deve ser indiferente ao fato de termos amigos ou inimigos, afetos ou desafetos.

Em outra situação, podemos trazer para a seguinte questão Eu somente trato bem aqueles que me tratam bem. Se alguém me tratar de maneira inadequada, eu devolvo na mesma moeda. Isto é, “bateu-levou”, não levo “desaforo para minha casa” e outras expressões que conhecemos no nosso dia-a-dia.

Nesse caso, somos dependentes do comportamento da outra pessoa e assim, perdemos a nossa autonomia e a nossa imparcialidade. Com isso, agimos pela raiva, ou pela inveja, ou pelo orgulho, enfim, não temos equidade.

Nesse exemplo, Paulo apresenta que o comportamento e o testemunho vindo do Cristão não pode ser baseado nessa falsa coragem ou nesse descontrole.

Assim, sigamos a orientação de Paulo, que a nossa equidade seja notória, isto é, para todas as pessoas e para com todas as pessoas, pois Deus nos está presenciando.